Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Pelo segundo dia consecutivo, Estado não registra novas mortes por Covid-19 na Zona da Mata e Vertentes; regiões têm mais de 570 curados

Dados são do boletim diário da Secretaria de Estado de Saúde publicado nesta terça-feira (26). Confira tabelas com mais informações sobre a doença nas cidades das duas regiões. Boletim Epidemiológico confirmou 185 novos casos de Covid-19 nas cidades da Zona da Mata e Campo das Vertentes. Foto: AFP O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), divulgado nesta terça-feira (26), confirmou 50 novos casos de Covid-19 nas cidades da Zona da Mata e Campo das Vertentes, que chegaram a 1.337 casos. Neste levantamento, as regiões não registraram novas mortes pelo segundo dia consecutivo. O número de pacientes curados nas regiões saltou de 468 para 573 nesta terça-feira. Grande parte deste aumento foi registrado em Barbacena, após a Aeronáutica confirmar 204 casos de Covid-19 na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar). *Veja abaixo todas as informações dos casos confirmados, as mortes, além dos registros de pessoas curadas da doença nas regiões da Zona da Mata e Campo das Vertentes. Diferenças entre Estado e municípios Diariamente, o Estado e muitos municípios divulgam informações dos casos relacionados ao novo coronavírus. O G1 lembra que a divergência de dados do boletim do Governo de Minas em relação aos dados das prefeituras ocorre por diversos fatores, entre eles a quantidade de dados recebidos pelo Governo de Minas Gerais. Além disso, a SES-MG destaca sempre, que os dados são parciais e que estão sujeitos a alterações. Casos curados Conforme a atualização desta terça-feira, Zona da Mata e Vertentes têm 573 curados de Covid-19. O maior registro de curados foi em Barbacena, que saltou de 17 para 81. Veja abaixo outros dados. As cidades de Estrela Dalva, Miraí e Tocantins registraram os primeiros pacientes curados neste levantamento. A SES-MG informou que os dados do boletim são parciais e sujeitos à alteração, por essa razão, divergências pontuais entre os municípios e os casos já computados pela pasta podem ocorrer. Casos curados de Covid-19 Mortes pela Covid-19 Na nova atualização do Boletim Epidemiológico, não houve alteração no quadro de mortes. Juiz de Fora é a segunda cidade de Minas Gerais com mais óbitos pela Covid-19, totalizando 26. A Prefeitura já registrou a 29ª morte. Ao todo, a Zona da Mata e Campo das Vertentes somam 51 mortes. Confira abaixo a tabela com os dados nas regiões. Mortes confirmadas por Covid-19 Casos confirmados Na atualização desta terça-feira, Juiz de Fora registrou 16 novos casos confirmados de Covid-19 e chegou a 519. As cidades de Muriaé, Barbacena, Chiador, Cataguases, Pirapetinga, São João del Rei, Além Paraíba e Miraí também registraram novos casos. Veja a tabela completa com dados de casos confirmados nas regiões. Casos confirmados de Covid-19 Minas Gerais Ainda conforme o boletim de terça-feira, são 7.516 casos confirmados da doença. Estão em acompanhamento 3.627 casos (quadros que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios). Além disso, 3.655 casos são de pessoas que se recuperaram. No Estado, há 234 mortes confirmadas por coronavírus, nove a mais do que o boletim anterior. Sobre casos suspeitos, a pasta informou que conforme nova definição de caso preconizada pelo Ministério da Saúde, os casos anteriormente definidos como "suspeitos" passam a ser registrados nos sistemas oficiais de notificação como Síndrome Gripal Inespecífica, por não preencherem, em sua integralidade, critério para investigação laboratorial. Esses casos permanecerão sob acompanhamento das vigilâncias epidemiológicas estadual e municipal, mas deixam de ser tratados como casos suspeitos de Covid-19 e passam a ser tratados como síndromes respiratórias de interesse à saúde. Initial plugin text
Tue, 26 May 2020 17:49:10 -0000
VÍDEOS: JPB1 desta terça-feira, 26 de maio

Assista aos vídeos do telejornal com notícias do estado. Assista aos vídeos do telejornal com notícias do estado.
Tue, 26 May 2020 17:48:55 -0000
Digital influencer é conduzida à delegacia em Fortaleza, após polícia encontrar fotos dela com droga e armas no celular

Com mais de um milhão de seguidores em uma única rede social, a jovem foi ouvida e liberada, mas seu celular foi apreendido. A digital influencer exibe armas e droga em fotos armazenadas em seu celular Foto: Reprodução Uma digital influencer de Fortaleza foi conduzida ao 7º Distrito Policial da Polícia Civil, no Bairro Pirambu, em Fortaleza, na tarde desta segunda-feira (25), após policiais encontrarem fotos de armas e drogas no celular dela. A jovem, identificada como Nayara de Souza Silva, de 25 anos, tem, em apenas um de seus dois perfis no Instagram, mais de um 1,3 milhão de seguidores. No outro, é seguida por mais de 331 mil pessoas. Procurado, o advogado dela disse que não iria se manifestar. De acordo com o delegado titular do 7º DP, Alexandre Saunders, Nayara estava em um veículo no Bairro Barra do Ceará quando levantou suspeitas dos policiais militares durante um patrulhamento ostensivo realizado pela comunidade Colônia. "Por volta das 15 horas de ontem, policiais militares estranharam o veículo da Nayara, tendo em vista que é um local, infelizmente, com bastante incidência de tráfico de drogas. No primeiro momento, não acharam nada de ilícito, mas ao olhar o celular da abordada encontraram várias fotos de drogas e de armas de fogo. Por isso, encaminharam [ela] para a delegacia", detalha o titular do 7º DP, ressaltando que a jovem foi ouvida e liberada, "tendo em vista que nada de ilícito foi encontrado". Já o celular da digital influencer foi apreendido e, segundo o delegado, deve passar por perícia criminal, a partir da qual deve ser identificada a origem das drogas e das armas de fogo. Ainda na noite de ontem, ela chegou a fazer uma publicação informando aos seus seguidores que estava sem celular. "Parcerias e afins.. não se preocupem, logo, logo estarei de volta", escreveu. Na delegacia, ela disse desconhecer as fotos e alegou que eram armas de brinquedo usadas em esportes de airsoft. Nayara já responde criminalmente por uso de entorpecentes, em dois diferentes procedimentos. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública informou que um inquérito policial foi instaurado no 7º DP para que o caso seja apurado. "Ela vai responder provavelmente por mais um inquérito, apesar de responder em liberdade, vai ficar com mais essa pendência com a Justiça", complementa o delegado. A Influencer publicou em sua rede social um aviso informando que estava sem celular, após ele ser apreendido pela polícia em Fortaleza. Reprodução
Tue, 26 May 2020 17:48:51 -0000
Inscrições para concurso em Rolim de Moura, RO, encerram nesta terça-feira, 26

São mais de 190 vagas imediatas para diferentes áreas e cargos de nível fundamental, médio e superior. Salários chegam a R$ 7,7 mil. Prefeitura de Rolim de Moura, RO Magda Oliveira/G1/Arquivo As inscrições para o concurso público da prefeitura de Rolim de Moura (RO) encerram nesta terça-feira (26). Estão disponíveis mais de 190 vagas para cargos de nível fundamental, médio e superior. Os salários chegam a R$ 7,7 mil. Também estão abertas vagas para a Autarquia Municipal de Saneamento (Sanerom) e Instituto de Previdência Própria de Rolim de Moura (Rolim Previ). As inscrições para as três seleções podem ser feitas na página do Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade), organizador dos certames. As taxas variam de R$ 82 a R$ 120, de acordo com o cargo selecionado. Conforme o executivo municipal, as datas para realização das provas ainda serão definidas. O edital cita que serão realizadas provas de títulos para cargos de nível superior e exames práticos para cargos de nível fundamental. Veja os cargos de nível superior com vagas disponíveis Também estão disponíveis vagas para cargos de nível médio como: agente administrativo, agente de endemias, agente de trânsito, assistente técnico da educação básica, auxiliar de educador, auxiliar de enfermagem, cuidador, digitador, fiscal ambiental, fiscal de obras e posturas, fiscal de vigilância sanitária, fiscal tributário, técnico em enfermagem, técnico em imobilização ortopédica, técnico em higiene dental, técnico em informática, técnico em nutrição e dietética, técnico em radiologia, técnico em segurança do trabalho. Assim como cargos de nível fundamental: auxiliar administrativo, almoxarife, recepcionista, cozinheira, merendeira, motorista de veículos leves, motorista de veículos pesados, operador de pá carregadeira, operador de retro escavadeira, operador de trator pneu, serviços gerais, zelador.
Tue, 26 May 2020 17:48:20 -0000
Secretário de Saúde do Recife explica que pacientes terão prioridade para os novos exames da Covid-19
Em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), testes começam a ser realizados nesta terça-feira (26). UFPE começa a fazer exames do tipo RT-PCR a partir desta terça-feira (26) Em parceria com a a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a prefeitura do Recife começará a realizar exames do tipo RT-PCR para detectar o novo coronavírus nesta terça-feira (26). A previsão é que 2 mil testes por semana sejam feitos. O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, explicou como será a dinâmica com esta nova remessa de testes (veja vídeo acima). Alguns casos ainda continuarão sendo priorizados pela secretaria de Saúde. Pessoas com síndrome respiratória aguda, por exemplo. Saiba como ficam os serviços no estado Confira o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus Coronavírus: veja perguntas e respostas "Continuaremos priorizando as coletas nas pessoas que têm síndrome respiratória aguda grave, a investigação de óbitos que é muito importante. Vamos também reforçar a coleta de profissionais de saúde, dos domiciliares das casas dos profissionais de saúde que tiverem com sintomas. Profissionais de segurança também e aumentar a coleta de casos leves naquelas unidades que chamamos de sentinelas, para entender como está a circulação, a dinâmica de transmissão do vírus", disse. Segundo Jailson, o exame do tipo RT-PCR é o "mais fiel, que consegue detectar o vírus no início dos sintomas". Para as autoridades de saúde, isto é fundamental para melhorar a capacidade de testagem e tomada de decisão dos governos com relação à doença. O secretário também explicou como é que funciona o exame que ficará disponível nas unidades de Saúde da prefeitura. "A UFPE está colocando toda a estrutura de laboratório à disposição da prefeitura, mas a coleta é como se fosse um cotonete comprido que é colocado nas narinas e na garganta e aquela secreção vai então para o laboratório detectar a possível existência do vírus", explicou. Initial plugin text
Tue, 26 May 2020 17:43:22 -0000
Monções confirma primeira morte por coronavírus
Vítima, segundo as autoridades de saúde do município, é uma idosa de 89 anos que tinha comorbidades. Monções (SP) confirmou nesta terça-feira (26) a primeira morte provocada pelo coronavírus. A vítima, segundo as autoridades de saúde do município, é uma idosa de 89 anos que tinha comorbidades. De acordo com a prefeitura, um filho dela, que mora em São José do Rio Preto (SP), e um cuidador da idosa também testaram positivo para a doença. A idosa morreu e foi enterrada no último domingo (24). Ao todo, Monções tem dois casos confirmados de coronavírus. Initial plugin text Veja mais notícias da região em G1 Rio Preto e Araçatuba
Tue, 26 May 2020 17:41:58 -0000
Próximo desafio é evitar que companhias aéreas afundem sob peso da dívida, diz Iata

Pandemia de coronavírus vai provocar um aumento da dívida do setor de US$ 430 bilhões para US$ 550 bilhões. Para a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), a ajuda financeira é a tábua de salvação para que as operações das companhias aéreas não sucumbam à crise provocada pela pandemia de covid-19. "O auxílio dos governos está ajudando a manter a indústria. O próximo desafio será impedir que as companhias aéreas afundem sob o peso da dívida que esta ajuda está criando", disse Alexandre de Juniac, diretor-geral da associação, em nota. Segundo estimativas da Iata, a pandemia, que prejudica as operações das companhias aéreas no mundo, vai colaborar para aumentar a dívida do setor de US$ 430 bilhões para US$ 550 bilhões, ou 28%, até o fim do ano. Latam pede recuperação judicial nos Estados Unidos Avião da companhia aérea Latam no pátio do Aeroporto Internacional de São Paulo Celso Tavares/G1 Do montante de US$ 120 bilhões de alta na dívida para 2020, fatia de US$ 67 bilhões é referente a empréstimos do governo, impostos diferidos e garantias de empréstimos, enquanto os US$ 52 bilhões restantes são empréstimos comerciais, dívida do mercado de capitais, débitos de novos arrendamentos operacionais e acesso às linhas de crédito existentes. Os governos ao redor do mundo se comprometeram com US$ 123 bilhões para resgatar as empresas, mas US$ 67 bilhões deste valor precisarão ser reembolsados. Do saldo restante, fatia de US$ 34,8 bilhões é relacionada a subsídios salariais, seguido por financiamento de ações (US$ 11,5 bilhões) e desoneração ou subsídio fiscal (US$ 9,7 bilhões). "Menos de 10% [dos auxílios do governo] serão adicionados ao patrimônio da companhia aérea. Isso muda completamente o quadro financeiro da indústria. Pagar a dívida dos governos e credores privados significará que a crise vai durar muito mais do que o tempo necessário para a demanda de passageiros se recuperar ”, afirmou de Juniac. O resgate financeiro pelos governos, de US$ 123 bilhões, será equivalente a 14% da receita do setor em 2019, que totalizou US$ 838 bilhões. Essa proporção é maior para as empresas da América do Norte, representando 25% ou US$ 66 bilhões de auxílio. Na Europa, corresponde a 15% da receita no ano passado ou US$ 30 bilhões. Na América Latina, a quantia corresponde a US$ 3 bilhões, ou 0,8% da receita das aéreas em 2019. Segundo o diretor-geral da Iata, os governos de países como Austrália, Itália, Tailândia, Turquia e Reino Unido reagiram rapidamente para ajudar na recuperação do setor.
Tue, 26 May 2020 17:41:37 -0000
Segundo homicídio é registrado nesta terça-feira no bairro Retiro, em Volta Redonda
Crime aconteceu na Rua Vicente Celestino. Vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal Doutor Munir Rafful, mas não resistiu aos ferimentos. Um homem foi morto a tiros em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro. O crime aconteceu na Rua Vicente Celestino, no bairro Retiro. Este foi o segundo homicídio registrado na manhã desta terça-feira (26) na localidade. Segundo informações da Polícia Militar, os agentes foram chamados no Hospital Municipal Doutor Munir Rafful (Hospital do Retiro) para verificar um paciente que havia dado entrada na unidade médica vítima de disparo de arma de fogo. Quando a polícia chegou, o homem já havia morrido. A PM informou ainda que, a princípio, o crime teria sido cometido por disputa territorial pelo tráfico de drogas. A ocorrência foi registrada na delegacia, que investiga o caso. Até esta publicação, ninguém havia sido preso.
Tue, 26 May 2020 17:41:06 -0000
Coronavírus: como o que sabemos sobre a Covid-19 mudou radicalmente em poucas semanas

Em poucos meses, médicos aprenderam muitas coisas sobre a Covid-19, mas também se surpreenderam com outras e permanecem diante de algumas incógnitas. O que se confirmou com o tempo, surpreendeu ou permanece desconhecido sobre a covid-19? Médicos entrevistados pela BBC discutem BBC "Nunca vimos algo assim." Essa é uma frase dita por vários médicos de unidades de terapia intensiva (UTIs) do Reino Unido e outros países quando o assunto é a Covid-19. No início, o pouco que se sabia sobre a doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2 era que ela começou a afetar humanos pela primeira vez na China e se tratava de uma infecção respiratória semelhante a outras que causaram surtos no passado, como Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio). Mas, hoje, as diferentes manifestações da Covid-19 pegaram até mesmo os médicos de UTI mais experientes de surpresa. Os indícios de que o Sars-Cov-2 circulava no Brasil antes do primeiro diagnóstico oficial Covid-19 não pode ser pensada só como doença respiratória, diz epidemiologista Para a maioria das pessoas infectadas com o novo coronavírus, os sintomas são moderados ou simplesmente não aparecem. Entretanto, nos casos graves, a Covid-19 se apresenta como uma doença extremamente complexa. Então, nos últimos meses, o que os médicos aprenderam sobre a Covid-19? Com o que foram surpreendidos? E o que permanece uma incógnita? Confira abaixo. Mais do que uma pneumonia Se no início a maioria dos médicos "esperava lidar com um vírus respiratório que causa pneumonia, algo como uma gripe sazonal, mas em escala muito maior", rapidamente ficou evidente que o vírus afetava muito mais do que a respiração das pessoas, diz Anthony Gordon, intensivista do hospital St. Mary em Londres. A pneumonia pode ser preocupante — uma infecção grave dos pulmões que causa inflamação à medida que o corpo responde. Mas com a Covid-19, os casos graves foram se mostrando ainda mais surpreendentes. "É um tipo de doença muito distinta do que conhecíamos até agora e que difere de paciente para paciente como nenhuma outra", diz Ron Daniels, médico intensivista em Birmingham, no Reino Unido. Pacientes graves têm apresentado inflamação sistêmica, aumento de coágulos e alterações em vários órgãos. "Tivemos pacientes muito, muito doentes, cuja massa corporal está passando por profundas mudanças", disse à BBC Beverly Hunt, especialista em trombose que trabalha em uma UTI em Londres. Profissional prepara leito de UTI que receberá paciente de Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, em foto do dia 8 de maio Suamy Beydoun/AGIF/Estadão Conteúdo Dúvidas sobre ventiladores mecânicos Em março, quando o vírus começou a se espalhar mais rapidamente no Reino Unido, pessoas com falta de oxigênio foram chegando cada vez mais aos hospitais. Algumas, porém, não necessariamente sentiam sinais disso ao dar entrada nos serviços de saúde. "Ainda não sabemos por que alguns pacientes se sentem bem a princípio, mesmo que tenham níveis muito baixos de oxigênio no sangue", diz Hugh Montgomery, médico intensivista do Whittington Hospital, no norte de Londres. Anthony Gordon explica que a infecção atrapalha a oferta de oxigênio no sangue, mas possivelmente "os pulmões não são afetados nesta fase inicial" em alguns casos. Ventiladores mecânicos são usados para auxiliar pacientes com insuficiência respiratória. – Ilustração: Rodrigo Sanches/Arte G1 É por isso que muitos médicos questionam se o uso de ventiladores mecânicos artificiais para ajudar os pacientes a respirar é sempre a melhor intervenção para tratar de casos mais graves de Covid-19. Embora tenha contribuído para a recuperação de muitas pessoas, em outras o foco nos pulmões acabou se mostrando equivocado, já que outros órgãos também podem ser afetados. Outras precisam ficar "no ventilador por muito mais tempo (que o usual para doenças parecidas), e não entendemos o motivo", diz Danny Macauley, médico da UTI no Hospital Real Victoria em Belfast, Irlanda do Norte. Normalmente, pessoas afetadas com pneumonias virais graves devem ser auxiliadas por um ventilador por uma semana. "Pode ser que o vírus continue causando danos por mais tempo, ou pode ser que a resposta do corpo ao vírus gere vários outros problemas ao próprio organismo." E muitos desses problemas estão ligados ao sangue. Efeitos no sangue Quando as paredes dos vasos sanguíneos ficam inflamadas, é mais provável que o sangue forme coágulos. E o que tem sido observado em pacientes graves com Covid-19 é que seu sangue se torna muito espesso e pegajoso. "Encontramos pequenos coágulos nos pequenos vasos sanguíneos dos pulmões, mas também grandes coágulos nas principais artérias", diz Hugh Montgomery. "Mais de 25% dos pacientes têm coágulos significativos, o que é um problema. E quanto mais espesso o sangue, maior o problema." Esses pacientes "têm probabilidade muito maior de ter trombose venosa profunda" — quando um coágulo sanguíneo (trombo) se forma em uma ou mais veias profundas do corpo, geralmente nas pernas, explica Beverly Hunt. "Há ainda maior risco de embolia pulmonar se um desses trombos circular pelo corpo e bloquear o suprimento de sangue para os pulmões, agravando o problema da pneumonia." Reprodução em 3D do modelo do novo coronavírus (Sars-CoV-2) criada pela Visual Science. Dentro do verde mais claro, as bolinhas vermelhas representam o 'centro' do vírus, o genoma de RNA; as bolinhas verdes são proteínas 'especiais', que protegem esse material genético. Ao redor do verde, o vermelho mais fraco é a 'casca', feita de uma membrana retirada da célula hospedeira. O vermelho mais vivo são as proteínas 'matrizes' codificadas pelo vírus. As 'pontas' que saem do vírus são as 'lanças de proteínas', que o vírus usa para se conectar às células hospedeiras e infectá-las. Reprodução/Visual Science Os coágulos também dificultam o acesso de sangue a outros órgãos, como o coração ou o cérebro, deixando os pacientes gravemente doentes sob risco de um ataque cardíaco ou cerebral. A principal proteína do sangue que forma coágulos é chamada fibrinogênio. "Normalmente, temos entre dois e quatro gramas por litro dela (...), mas com a Covid-19, o nível aumenta para entre 10 e 14 gramas. Nunca vi algo assim em todos os meus anos como médica", diz Hunt. Outra maneira de medir o risco dos coágulos é através da detecção do dímero D — fragmentos de proteína relacionados ao processo de coagulação e cujo nível também aumenta drasticamente em pacientes com Covid-19 grave. Sistema de defesa sitiado Em alguns casos, o alto nível de dímero D indica a presença de múltiplos coágulos. Em outros, sinaliza também uma infecção tão grave que pode levar a uma reação desproporcional do sistema imunológico, e com risco de vida, conhecida como "tempestade de citocinas". A inflamação é tal que pode prejudicar o resto dos órgãos. Por outro lado, o número de linfócitos T — um tipo de célula sanguínea no sistema imunológico — diminui drasticamente em uma tempestade de citocinas. Portanto, os pesquisadores esperam que o aumento do número de linfócitos T possa ajudar os pacientes a se recuperarem. Todos esses fatores tornam a Covid-19 altamente imprevisível — por isso, ela vem sendo considerada uma doença multissistêmica. E isso torna mais difícil a decisão de como tratar cada paciente individualmente. "Os pulmões não são os únicos afetados", aponta Hugh Montgomery. "Há danos também aos rins, ao coração e ao fígado." Imagem de microscópico mostra o novo coronavírus, responsável pela doença chamada Covid-19 NIAID-RML/AP Mais de 2.000 pacientes admitidos em UTIs no Reino Unido sofreram insuficiência renal. O cérebro de pacientes gravemente doentes também é motivo de preocupação. "Agora sabemos que um grande número de pacientes (com Covid-19) sofre inflamação significativa no cérebro", diz Montgomery. "Isso se apresenta de várias formas, desde ilusões e confusão, até convulsões e o que chamamos de encefalite difusa", explica ele. A falta de oxigênio e vasos sanguíneos danificados são claramente parte dessa equação. Mas há evidências crescentes de que muitos órgãos são atacados diretamente pelo vírus e, surpreendentemente, as condições preexistentes mais comuns ligadas aos efeitos graves da Covid-19 não são problemas respiratórios como a asma. Por outro lado, condições vasculares como pressão alta, diabetes e doenças coronárias, além de outros fatores, como sexo, obesidade e principalmente idade têm bastante importância. Segundo dados oficiais, mais de 70% dos pacientes admitidos nas UTIs na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte são homens e mais de 70% estavam com sobrepeso ou obesidade. Mais de dois terços daqueles que foram admitidos em UTIs por conta da Covid-19 e morreram tinham mais de 60 anos de idade. Aprender em meses o que já levou centenas de anos Profissionais de saúde em atendimento Leo Correa/AP No entanto, condições anteriores não explicam por si só por que tantas pessoas infectadas são assintomáticas ou apresentam sintomas leves, enquanto outras ficam gravemente doentes rapidamente. Muitos cientistas acreditam que a genética pode ser um dos fatores para quadros mais graves, mas ainda não há certeza. É possível, por exemplo, que a variação genética que torna algumas pessoas mais suscetíveis à pressão alta ou diabetes também as torne mais vulnerável ao vírus. Por ora, existem tantas perguntas quanto respostas. Barbara Miles diz que lidar com a covid-19 lhe proporcionou a maior oportunidade de aprendizado de sua carreira. "Gostaríamos de saber mais sobre como prevenir e tratar coágulos sanguíneos nesses pacientes", afirma. É essencial acertar a combinação de medicamentos, já que tentar resolver um problema geralmente cria outros. Mas outro grande desafio clínico é melhorar os prognósticos de pacientes internados em UTIs. "Aprendemos muito e o trabalho em equipe tem sido incrível, mas também difícil", diz Anthony Gordon. "Às vezes, cheguei em casa pensando: 'Não sei se o que fiz hoje foi a coisa certa'." "Estamos tendo que aprender em alguns meses o que aprendemos ao longo de centenas de anos sobre outras doenças, e isso tem sido um verdadeiro desafio." Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19 Initial plugin text
Tue, 26 May 2020 17:40:29 -0000
VÍDEOS: ES1 de terça-feira, 26 de maio


Tue, 26 May 2020 17:40:06 -0000

Offers and services for you

This page was created in: 0.38 seconds

Copyright 2020 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info