Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Brasileira separada da filha nos EUA há 23 dias só pode falar com a criança por telefone
Ligação é de no máximo 10 minutos, duas vezes por semana. Família foi separada pela política de 'tolerância zero' do presidente Donald Trump. Brasileira conta como é ficar separada da filha em um abrigo de imigrantes nos EUA Uma mãe brasileira foi separada de sua filha nos Estados Unidos após cruzar a fronteira do país pelo Texas, no dia 31 de maio. As duas entraram juntas em território americano, mas foram separadas no dia seguinte por agentes da fronteira e estão há 23 dias sem se ver. A mãe, que preferiu não se identificar, contou ao Fantástico sobre a separação e a luta para ter a filha de volta. Ela ficou cinco dias na prisão até ver um juiz e ser liberada. Já a menina está em um abrigo para imigrantes com outras crianças. "A gente estava passando uma fase difícil lá no Brasil, né? Não estava nada bom para o meu esposo. Ele acabou se endividando em algumas coisas e resolveu vir. Aí ele veio, e através dessas dívidas, eu também comecei a ser ameaçada. E eu fui, peguei a minha filha mais nova e vim". O que ela não sabia é que sofreria na pele a política de "tolerância zero" do presidente Donald Trump. Quem é detido entrando ilegalmente nos Estados Unidos pode ser processado como criminoso. Se for uma família com menores de idade, passa um tempo nos centros de triagem. Depois, os adultos vão para a prisão, e os menores, para abrigos e instituições particulares. "Eu fiquei na cadeia, onde o quarto tinha cerca de umas 50, 60 mulheres, mais ou menos. Ou até mais, né? Vou colocar umas 70." Foram cinco dias na prisão sem saber onde estava a filha. Na primeira audiência diante do juiz, ela se declarou culpada e foi liberada. Ao sair da cadeia, a brasileira encontrou o marido e o filho. Ambos já viviam nos Estados Unidos como imigrantes ilegais e aguardam uma decisão da Justiça americana. A mãe aguarda o fim do seu processo, que pode terminar em deportação, enquanto produz uma série de provas para poder ficar com a menina. "Eu posso fazer duas ligações por semana, cada uma de dez minutos, ou posso fazer uma de vinte", afirma a mãe, que agora já sabe em qual abrigo a filha está. Segundo os serviços diplomáticos do Brasil, existem 51 crianças brasileiras vivendo em abrigos e separadas dos pais nos Estados Unidos. Há algumas semanas, outra brasileira tentou entrar ilegalmente no país. A moradora de Cuparaque (MG) levou junto os três filhos: de 16, 10 e 8 anos. Todos acabaram presos na fronteira e agora estão separados da mãe. "Eu soube através do jornal. Minha reação foi muito triste. Eu chorei muito", afirma a irmã da brasileira detida pelos agentes da imigração nos EUA. A identidade dela será mantida em sigilo. "Ela achou que ela poderia dar uma vida melhor para o filho dela. Ela foi mais por conta de um deles, do mais velho", completa a irmã, que também já foi imigrante ilegal nos EUA. 'Tolerância zero' Ao tentar conter o fluxo de dezenas de milhares de migrantes da América Central e do México que chegam à fronteira sul todos os meses, Trump ordenou no começo de maio que todos os adultos que entrassem no país de forma irregular fossem presos e seus filhos separados deles. Depois que as imagens de crianças confinadas geraram uma onda de indignação no país e no mundo, Trump pôs fim à prática da separação, mas continuou com seu discurso linha dura sobre a imigração. O presidente considera esse tema crucial antes das eleições legislativas de metade de período, que vão acontecer no mês de novembro. "Não podemos permitir que todas essas pessoas invadam nosso país", disse Trump neste domingo na rede social Twitter. "Quando alguém chega, devemos imediatamente, sem juízes nem julgamentos, levá-lo de volta de onde veio", disse, o que sugere um tratamento sem o devido processo legal que a Constituição americana garante a "qualquer pessoa". Quase todas as famílias que chegam ao país solicitaram refúgio oficialmente. "Nosso sistema é uma piada à boa política de imigração e à Lei e à Ordem", escreveu Trump, que tem tentado repetidamente vincular os imigrantes com o crime.
Mon, 25 Jun 2018 03:08:10 -0000
Cor da camisa vira desafio para até 9% dos torcedores no mundo: entenda como daltônicos assistem à Copa

Dos 32 uniformes principais dos países do Mundial, 24 têm cores que não são identificadas por quem sofre por um dos três tipos de distúrbio. A cores predominantes nos uniformes de equipes na Copa da Rússia podem ser um problema para até 9% da população mundial que sofre de daltonismo. Para reconhecer quem está com a posse da bola é preciso estratégias ou a ajuda de lentes ou óculos. Dos 32 uniformes principais dos países do Mundial, 13 camisas são vermelhas, cinco são azuis, duas são verdes, e quatro amarelas. Nas três variantes do daltonismo, ele se apresenta como um distúrbio da visão que interfere na distinção de cores. Quem é daltônico tem dificuldades para diferenciar, por exemplo, o vermelho do verde ou o azul do amarelo. Todas essas cores são predominantes nos uniformes da Copa na Rússia. Cerca de 8% da população mundial masculina é daltônica. As mulheres representam cerca de 1% nesse grupo. "Todos os daltônicos tem dificuldades na identificação das cores primárias, principalmente o vermelho e o verde, ao invés de enxergarem essas cores, eles veem marrom ou cinza", conta o Dr. Rodrigo Pegado, oftamologista da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO). Existem três tipos: o protanopia, que altera a cor vermelha, e gera tons de bege, marrom, ou cinza; deuteranopia, onde a cor verde vira marrom; e o mais raro, o tritanopia, que altera os tons de azul e amarelo, para tons rosado. Veja nas fotos abaixo: Uniformes da Rússia, Islândia e México (da esquerda para direita), segundo uma simulação da pronotopia (vermelha vira bege), tritanopia (azul e amarelo viram rosado) e deuteranopia (verde vira marrom). Divulgação Na estreia da seleção brasileira na Copa, o fotógrafo Luiz Filho, que tem daltonismo tritanopia, teve dificuldades para identificar o time do Brasil e da Suíça. “O que é verde, amarelo, e vermelho pra vocês, é tudo da mesma cor pra mim, tons de cinza. No jogo, a camisa do Brasil era cinza, mas mudava conforme a luz, e a grama era da cor da camisa da Suiça, cinza mais escuro. Pedi ajuda para uma amiga dizer qual lado o Brasil começava atacando, para não comemorar o gol errado! " - Luiz Filho O jogo de abertura do mundial, entre Rússia e Arábia Saudita, também foi difícil para os daltônicos identificarem as seleções, por que as camisas tinham como cor predominante o vermelho (Rússia) e o verde (Arábia Saudita). Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Em uma simulação, veja como foi o jogo entre Rússia e Arábia Saudita, para o Luiz e mais 9% do mundo: Rússia e Arábia Saudita, abertura da Copa do Mundo. Mladen Antonov/AFP O daltonismo é genético e hereditário, geralmente mais comum em homens, por que está ligado a uma anomalia recessiva do cromossomo X. Raramente afeta as mulheres, porque possuem dois cromossomos X. Existem óculos e lentes de contato que ajudam a compensar os efeitos e melhorar a escala de tonalidade das cores. “De modo geral, a cor do gramado já dificulta para os casos de tritanopia. Para assistir aos jogos sem muitas interferências é importante usar óculos especiais, por que eles corrigem as escalas das cores, ou vai ter que ser guiado pelo sentido da bola” explica o Dr. Rodrigo Pegado. Teste de cores Para identificar o daltonismo, existe um teste chamado "Ishihara". Esse exame consiste numa série de cartões coloridos, com um número que só será visível pelas pessoas com a visão normal. O número de acertos pode variar conforme o grau e o tipo de daltonismo. Veja exemplos abaixo: Pessoas com daltonismo não enxergam o número 42. H.Olhos/Divulgação Pessoas com daltonismo não enxergam o número 42 acima. Pessoas com daltonismo não enxergam o número 74. H.Olhos/Divulgação Pessoas com daltonismo não enxergam o número 74 acima. Pessoas com daltonismo não enxergam o número 12. H.Olhos/Divulgação Pessoas com daltonismo não enxergam o número 12 acima.
Mon, 25 Jun 2018 03:01:40 -0000
Câmeras flagram como casas de luxo instalam 'gatos' de energia elétrica
Da eletricidade utilizada no Brasil, 5% saem por ligações clandestinas. Classes A e B são responsáveis por mais de 50% do volume furtado no RJ.    A conta de luz pesa no final do mês. Mas saiba que parte dela é usada para cobrir um rombo gerado por gente desonesta que desvia energia da rede e "rouba" 5% de toda a energia consumida no Brasil, usando o chamado "gato". No estado do Rio de Janeiro, mais da metade desses "gatos" estão em domicílios das classes A e B. Na reportagem do Fantástico você vê um flagrante de como são feitas essas ligações clandestinas.
Sun, 24 Jun 2018 23:39:02 -0300
O Brasil que eu quero: vídeos exibidos de 24 a 30 de junho nos telejornais

Brasileiros falam do país que querem para o futuro.  Brasileiros falam do país que querem para o futuro. 
Mon, 25 Jun 2018 02:37:00 -0000
Shawn Mendes considera Rock in Rio o momento mais incrível da vida dele
Em entrevista ao Fantástico, cantor disse que pensa no Brasil a toda hora e que nem acredita que fez 100 mil pessoas cantarem em coro durante o show.    A carreira não tinha nem três anos, e o Rock in Rio inteiro já cantava junto. Shawn Mendesx vê e revê a cena. Ele acha que fazer 100 mil pessoas cantarem em coro foi o momento mais incrível dos seus 18 anos de vida. Em entrevista ao Fantástico, o cantor também disse que pensa no Brasil a toda hora e que nem acredita que fez milhares de pessoas cantarem em coro naquele show. A multidão era do tamanho da população da cidade onde nasceu. Em Pickering, no Canadá, ele gostava de jogar hóquei e futebol e teve aulas de teatro. Mas o hobby preferido dele era cantar. Veja na entrevista acima. TESTE: É FÃ DE SHAWN MENDES? IDENTIFIQUE OS CLIPES DO CANTOR!
Sun, 24 Jun 2018 23:26:53 -0300
Brasileira conta como é ficar separada da filha em um abrigo de imigrantes
Ela sofre com política de 'tolerância zero' do presidente Donald Trump. Detidos entrando ilegalmente nos EUA podem ser processados como criminosos.    Crianças e menores de idade trancafiados em jaulas. Desde o mês passado, tristes imagens resumem o novo e cruel capítulo da história da crise da imigração ilegal nos Estados Unidos. Nesta semana, as imagens ganharam as vozes de uma brasileira e a filha dela. Elas cruzaram a fronteira dos Estados Unidos pelo Texas, no dia 31 de maio. No dia seguinte, foram separadas pelos agentes de fronteira. A mãe foi presa, ficou 5 dias na prisão, até ver um juiz e ser liberada, mas não vê a filha há 23 dias. “A gente tava passando uma fase difícil lá no Brasil, né? Não tava nada bom pro meu esposo e tal. Ele acabou se endividando em algumas coisas e resolveu vir. Aí ele veio, e através dessas dívidas, eu também comecei a ser ameaçada, né? E eu fui, peguei a minha filha mais nova e vim”, explica a brasileira. O que ela não sabia é que viria a sofrer na pele a política de "tolerância zero" do presidente Donald Trump. Quem é detido entrando ilegalmente nos Estados Unidos pode ser processado como criminoso. Se for uma família com menores de idade, passa um tempo nos centros de triagem. Depois, os adultos vão para a prisão, e os menores, para abrigos e instituições particulares. “Eu fiquei na cadeia, onde o quarto tinha cerca de umas 50, 60 mulheres, mais ou menos. Ou até mais, né? Vou colocar umas 70.” Foram cinco dias na prisão sem saber onde estava a filha. Na primeira audiência diante do juiz, ela se declarou culpada e foi liberada. Daí pôde encontrar o marido e o filho, que já viviam nos Estados Unidos. O marido e o filho dela são imigrantes ilegais e aguardam uma decisão da Justiça americana. Enquanto espera o fim do processo, sem saber se vai ser deportada, ela tem de produzir uma série de provas para poder ficar com a menina, mas, pelo menos, já sabe onde está a filha e pode falar com ela por telefone. Veja a história completa na reportagem do Fantástico.
Sun, 24 Jun 2018 23:20:56 -0300
Eleição suplementar em Cabo Frio e Rio das Ostras: acompanhe o dia de votação nas cidades da Região dos Lagos
População vai escolher os novos prefeitos de cada cidade. Eleição suplementar em Cabo Frio e Rio das Ostras: acompanhe o dia de votação nas cidades da Região dos Lagos População vai escolher os novos prefeitos de cada cidade. Dr. Adriano é o novo prefeito de Cabo Frio na eleição suplementar realizada neste domingo (24). Marcelino da Farmácia é o novo prefeito eleito em Rio das Ostras
Mon, 25 Jun 2018 01:39:12 -0000
Messi faz aniversário e é parabenizado por craques e Cavalinho da Argentina
A Copa não está sendo boa para ele. Porém, no dia em que faz 31 anos, jogador recebeu o carinho de Neymar, Ronaldinho Gaúcho, Maradona e Pelé.    Neste domingo (24), é aniversário do gênio Lionel Messi. A Copa não está sendo boa para ele. Porém, neste dia em que completa 31 anos, até agora ele recebeu muito carinho. Ganhou os parabéns dos maiores craques: Neymar, Ronaldinho Gaúcho, Maradona e Pelé. Mas faltava alguém: o Cavalinho da Argentina!
Sun, 24 Jun 2018 22:38:32 -0300
Especialistas em linguagem corporal tentam entender o choro de Neymar
Cena marcou final da primeira vitória do Brasil na Copa da Rússia, contra a Costa Rica. Veja o que o nosso craque tem que fazer para sacudir a poeira.    Ao final do jogo Brasil x Costa Rica, primeira vitória da seleção na Copa da Rússia, Neymar desabou em lágrimas, em uma cena que ficou marcada nas mentes dos brasileiros. A repórter Sônia Bridi ouviu especialistas em linguagem corporal e em psicologia do esporte para entender esse choro do Neymar e o que o nosso craque tem que fazer para sacudir a poeira e dar a volta por cima.
Sun, 24 Jun 2018 22:30:46 -0300
Leitura labial de Brasil contra a Costa Rica mostra clima quente em campo
Após juiz dar cartão amarelo para Neymar e Coutinho, jogadores partiram para xingamentos. Já derrrota da Argentina teve muitos silêncios.    O no jogo do Brasil contra a Costa Rica foi tenso e o clima esquentou bastante no fim da partida. A leitura labial do Fantástico mostra que, após juiz dar cartão amarelo para Neymar e Coutinho, nossos jogadores ficaram um pouco, digamos assim, desbocados. Já na derrota inesperada da Argentina, a situação foi bem diferente e o silêncio imperou. Veja tudo na reportagem acima.
Sun, 24 Jun 2018 22:27:51 -0300

Offerte e servizi speciali per te

This page was created in: 0.02 seconds

Copyright 2018 Oscar WiFi

Questo sito consente l’invio di cookie tecnici, di profilazione di 'terze parti' e utilizza cookie di analisi di terze parti per compilare statistiche aggregate ed anonime. Per avere indicazioni sull’uso dei cookie e la possibilità di scegliere quali specifici cookie autorizzare acceda all’Informativa estesa. Proseguendo nella navigazione mediante accesso ad altra area del sito o scroll della pagina o selezione di un elemento dello stesso (immagini o link) oppure selezionando ACCETTA I COOKIE acconsente l’utilizzo dei cookie presenti. Ulteriori informazioni